A RAÇA: SAMOIEDA

O Samoieda é um lindo cão de trabalho, de tamanho médio, originário da região da Sibéria. Seus olhos são castanhos, de formato amendoado, que demonstram, ao mesmo tempo, inteligência e “um olhar sempre alerta”.

Tem uma linda cabeça, com stop moderado e pelagem longa, branca ou creme. É muito inteligente e precisa do amor do seu dono. Não é um cão que aceite ficar sempre preso. Gosta estar com o seu dono, é companheiro, leal e muito afetuoso. O Samoieda é ágil e bastante ativo. Os machos devem medir, na altura da cernelha, de 51 à 56 cm, e as fêmeas de 46 à 51 cm.

ORIGEM DA RAÇA
O Samoieda é uma das raças mais antigas que existe, oriundo das regiões nórdicas da Sibéria, onde era conhecido como Bjelkier, que na língua da tribo dos “Samoyedos”, queria dizer “cão branco que dá cães brancos”. Os Samoyedos eram uma população “pré-mongólica” que viveu a cerca de 5.000 anos atrás, e utilizavam seus cães para inúmeras funções como: puxar trenós, caçar ursos, lobos e morsas e ainda proteger rebanhos de renas. Os cães participavam ativamente da vida desse povo, sendo criados dentro das suas tendas, desenvolvendo assim sua domesticidade, pois no interior das tendas, além da docilidade, valiam-se de seu pelo para aquecê-los e serviam de guardiões da família.

No Ocidente, veio a ficar conhecido, devido as expedições exploradoras inglesas ocorridas pelo Ártico, no fim do século passado. Ernest Kilburn-Scott foi o primeiro criador da raça, que recebeu de um explorador norueguês 12 exemplares, sobreviventes de uma viagem feita à Groenlândia. Foi Ernest quem passou a importar Samoiedas, fazendo-o até 1920.

A admiração pelo Samoieda é tanta que o fez sair de seu habitat gélido e “aportasse” em outros lugares de climas diversos, inclusive, climas tropicais. Nesta rota estava o Brasil, onde chegou oficialmente em 1975.

PADRÃO DA RAÇA
Aqui temos o padrão da raça segundo a CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia) e a FCI (Federação Cinológica Internacional). Pertencem ao 5º grupo (Cães Spitz e de tipo primitivo) e seu país de origem são os Países Nórdicos. Sua aparência geral é de um cão ártico, de figura quase quadrada. De aspecto elegante, revelando robustez, graça, agilidade, dignidade e segurança. Sua altura está entre 48 e 60 cm e seu peso é de, aproximadamente de 20 a 30 Kg. Tem cabeça possante em forma de cunha com a trufa bem desenvolvida e preta, ou castanho. A cana nasal deve ser reta. Os lábios se fecham do nível das bochechas ultrapassando-as ligeiramente, levemente levantados nas comissuras, criando o característico “Sorriso Samoieda”.Os maxilares devem ter mordedura em tesoura (em torquês é tolerada, mas evitada); olhos escuros, oblíquos e amendoados. A cauda deve ser comprida, peluda e portada sobre o dorso. As orelhas são eretas,espessas, triangulares e arredondadas. Têm pernas sólidas e musculosas, com patas ovais e flexíveis, guarnecidas de pelos. Sua pelagem é dupla, sendo a externa abundante, rústica,flexível e densa.

O subpêlo é curto, suave, denso e serrado; pêlos mais longos, retos e duros atravessa, o subpelo armam a pelagem externa. Nas fêmeas a pelagem é freqüentemente mais curta e de textura mais suave. A cor preferida é o branco puro, mas também são admitidos os branco-palha (biscoito), o branco e creme e o totalmente palha. Os machos devem ter dois testículos de aparência normal totalmente descidos e bem acomodados na bolsa escrotal. Faltas graves: olhos amarelos; orelhas caídas; estrutura fraca; ossatura leve; jarretes de vaca acentuados; pelo ondulado, longo fraco e escorrido; características sexuais indefiníveis; cauda em gancho duplo. Desqualificações: olhos multicor (um olho de cada cor) ou azuis; prognatismo superior ou inferior; qualquer cor de pelagem não descrita no padrão; natureza agressiva ou desconfiada.

PADRÃO OFICIAL
CBKC n° 212 de 26/4/94 FCI n°212f de 20/5/88
País de origem: Países Nórdicos
Nome no país de origem: Samoyedo

CABEÇA:
de crânio robusto e cuneiforme; crista occipital levemente marcada. Stop bem marcado. Focinho forte e profundo; de comprimento quase igual ao do crânio, reduzindo o perímetro gradualmente até a trufa. Canal nasal reta. Os lábios se fecham no nível das bochechas ultrapassando-as ligeiramente. Trufa bem desenvolvida. A linha dos lábios é levemente recurvada nas comissuras, criando o característico sorriso de Samoieda.

MAXILARES:
articulados em tesoura, sendo tolerada, mas evitada, a mordedura em torquês.

OLHOS: marrons escuros, de forma amendoada, inserção bem profunda, oblíqua e bem separados; de expressão inteligente e esperta.

ORELHAS: de inserção alta e bem afastadas, relativamente pequenas, triangulares, eretas, com boa mobilidade e ligeiramente arredondadas na ponta.

PESCOÇO: forte, de comprimento moderado e portado erguido e confiante.

TRONCO: de comprimento ligeiramente maior que sua altura na cernelha; o peito é bem profundo; o cão é compacto, mas ágil. O dorso é reto, de comprimento médio e bem musculado. Juba abundante. As fêmeas podem apresentar o dorso ligeiramente mais longo; o lombo bem firme e o ventre moderadamente esgalgado. Visto de frente, o antepeito é bem profundo e bem largo sem ser em barril. Os flancos são bem cintados. A garupa é bem cheia, forte, musculada e levemente inclinada.

MEMBROS: bem articulados e musculados; ossatura robusta e bem desenvolvida. As escápulas são bem inseridas, longas e oblíquas. Vistos de frente, os anteriores são aprumados e os cotovelos bem ajustados trabalhando rente ao tronco. Os metacarpos são fortes e flexíveis. Os posteriores, vistos por trás, também se apresentam aprumados, paralelos e fortemente musculados. Os joelhos e as jarretes são bem angulados e a articulação do jarrete é bem baixa. A amputação dos ergôs dos filhotes deve ser feita aos 3 a 4 dias de idade.

PATAS: ovais e flexíveis; os dedos são ligeiramente separados e arqueados.

MOVIMENTAÇÃO: o Samoieda é um trotador. A andadura é fluente e enérgica; os anteriores com bom alcance de passada e os posteriores têm boa propulsão.

CAUDA: em atenção ou em movimento, é portada curvada para a frente, sobre o dorso ou de lado, em repouso, de um modo geral, é portada pendente, chegando a alcançar o nível dos jarretes.

PELAGEM: dupla, sendo a externa abundante, rústica, flexível e densa. O subpêlo é curto, suave, denso, e serrado; pêlos mais longos, retos e duros atravessam o subpêlo para armar a pelagem externa. O pêlo forma uma juba em torno do pescoço e sobre os ombros, emoldurando a cabeça, principalmente, nos machos. Na face externa das orelhas, na cabeça e na face anterior dos membros, o pêlo é curto e liso. A base das orelhas é bem guarnecida de pêlos. Nos espaços interdigitais encontram-se os pêlos de proteção. A cauda é abundantemente revestida. Nas fêmeas a pelagem é freqüentemente mais curta e de textura mais suave.

COR: branco, creme ou branco e biscoito ( a cor de fundo deve ser branca com ligeiras marcas biscoito e jamais parecer bege). A trufa, lábios e orla das pálpebras devem ser pretos. A trufa pode apresentar, às vezes, uma ligeira despigmentação.

TALHE: altura ideal: machos é de 57cm mais ou menos 3cm, e nas fêmeas é de 53cm mais ou menos 3cm. NOTA: os machos devem apresentar dois testículos de aparência normal totalmente descidos e bem acomodados na bolsa escrotal.


 

Desenvolvido por Fênix Sites |